Domingo, 6 de Fevereiro de 2005

As joelheiras.

   Que paciência!...
   Se não tens cão, caças com gato. Se não consegues resolver um problema, pelo menos tenta minimizá-lo.


   As coisas estão a ir de mal a pior. A minha mulher continua com os mesmos problemas. Já caiu por várias vezes. Mal se aguenta em pé. Na brincadeira, começo a pensar seriamente em lhe colocar na cabeça um dos meus capacetes de BTT. Se cai e bate com a cabeça em algum sítio é um problema de certeza. Mais um a somar aos muitos que já tenho. Com o máximo de franqueza, não sei a que se deve isto. Acho que nem os médicos sabem. Nem tão pouco sei se é um problema físico ou se já ultrapassa esse campo. Li em tempos um artigo que afirmava que o desejo de certas pessoas em se tornar doentes como forma de se lhes prestar atenção ou de se colocarem contra o mundo, pode na realidade criar os sintomas de doença, sem que o corpo tenha necessariamente de estar contaminado. Lembro-me perfeitamente que a minha filha mais velha, teve uma repulsa idêntica em relação ao colégio onde andava. Não nos apresentava qualquer justificação, só não queria ir para lá. Não se tinha zangado com as professoras, não havia problemas com os colegas, as empregadas tratavam-na bem, não havia razão nenhuma, pelo menos que nos contasse. E todos os dias ia para o colégio de má vontade, até que de repente, ficou com uma temperatura altíssima. Levámo-la ao médico. Nada. No dia seguinte a mesma coisa. Escaldava. Faltou à escola outra vez. E foram-se passando os dias. De manhã febre, o resto do dia normal. Mudei-a de colégio. Nunca mais teve febre. Enfim, vá-se lá perceber se foi coincidência.
   Ouvi-a cair de novo. Foi na cozinha. Está deitada no chão sem dar acordo de si. Tento levantá-la novamente. Não sei se faço bem ou mal, mas é a única forma de começar a reagir. Doem-lhe os joelhos de tantas quedas. Levanto-lhe as calças. Estão pisados. Uma autêntica nódoa negra ocupa a zona das rótulas. Devia ter notado isto há mais tempo, mas ela já não usa saias e também já não lhe olho muito para as pernas. Lembrei-me do capacete para a cabeça. Há pelo menos algo que posso fazer para a ajudar. Em tempos joguei andebol e usava umas protecções almofadadas para os joelhos. Será que ainda existe algo desse género? Vou ao Continente. Nada, nem na Sport Zone. Talvez no Fórum.
   Ao princípio achou graça, mas deu resultado. Talvez uma coisa tão simples possa ajudar a resolver, ou pelo menos minimizar as consequências de um problema mais grave... É preciso paciência.
publicado por vkthor às 20:51
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Filho pródigo...

. Telefonema a meio da noit...

. ops

. Iconomaker 3.0

. Está a andar...

. Outra resolução

. Aguentei a segunda...

. Falhou logo à primeira...

. Foi há quase um ano...

. Quase... quase...

.arquivos

. Março 2007

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds