Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

Aguentei a segunda...

   Que paciência!...
   Se vou conseguir, não sei, mas pelo menos estou a tentar arduamente.


   O jantar decorria normalmente. O filho mais novo tinha ido jantar fora com os colegas para comemorar fim do período. Iam comer pizza, triste escolha. Não me admira que quando soube que íamos comer rissóis quisesse também a sua quota parte dos mesmos , mas já lá chegamos...
   Cá em casa há quase sempre guerra por causa de rissóis, croquetes, pastéis de bacalhau e outros afins. Se um gosta de rissóis de camarão, já detesta croquetes, mas o outro já não suporta os rissóis e quer pasteis de bacalhau, ou empadas, a que o terceiro franze o nariz e diz preferir os croquetes... Aí, eu encho-me de paciência e fritam-se para todos os gostos...
   Desta vez, a minha mulher que costuma comer rissóis, deixou-os de lado, desequilibrando o sistema e gerando uma troca de «mimos» com a minha filha do meio, que queria que ela os comesse, e ao que ela insistia em deixar de lado sem dizer porquê. Como quis saber exactamente o que se passava desencandeei uma crise de choro, porque ela «estava só a quere ser uma boa mãe, e que sabia que o Rafael gostava de rissóis e só lhos estava a deixar...». É claro que o acto em si estava certo, mas o método empreendido estava mais que errado, uma vez que tinha posto todos enervados sem querer dizer porque o estava a fazer. Enfim, passou e não me enervei (muito) nem com ela nem com ninguém.
   Eu disse ninguém? De manhã a caminho do emprego, telefonou-me a minha Mãe. Que eu não queria saber deles para nada, que não dava notícias, que não sabia se eles estavam no hospital ou na morgue... Eu trouxe-os no Domingo para passarem o dia connosco. Fui levá-los a casa alta noite, regressei já na segunda e às seis da manhã já estou a pé para ir trabalhar. Ficaram de me telefonar durante a semana, mas não o fizeram. É claro que realmente eu podia ter telefonado, mas o meu telemóvel já há muito que está «no vermelho». A minha Mãe continuou:
   __ O teu Pai teve de ir ontem ao Hospital... __ e eu ainda tentei suavizar as coisas:
   __ Se me tivessem telefonado... __ o que eu fui dizer. Se eu estava aborrecido por não me terem telefonado mais cedo , o melhor era dizer logo, que eles às vezes não têm tempo, ou disposição, que eu é que devia preocupar-me com eles...
   No comboio, a caminho de Lisboa só podia responder com «humm, hummm, sim... pois... e abanar a cabeça, como se eles me vissem... É preciso paciência.
publicado por vkthor às 17:36
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Filho pródigo...

. Telefonema a meio da noit...

. ops

. Iconomaker 3.0

. Está a andar...

. Outra resolução

. Aguentei a segunda...

. Falhou logo à primeira...

. Foi há quase um ano...

. Quase... quase...

.arquivos

. Março 2007

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds