Quarta-feira, 5 de Janeiro de 2005

Um banho de café!...

   Que paciência!...
   Se há pessoa que acha que os horários são para cumprir, sou eu. Não gosto de esperar por ninguém. Acho uma falta de respeito marcar-se algo, tipo uma reunião ou almoço para determinada hora e depois telefonar a dizer para esperar só mais um bocadinho (tipo meia hora ou mais) ou simplesmente chegar atrasado. Por isso mesmo, normalmente saio de casa com todo o tempo necessário para a deslocação, e até poder tomar um café sem pressas, antes de uma aula, reunião, almoço, ou seja o que for.


   Levantei-me com tempo para chegar a Lisboa antes das nove. Tomei um banho demorado para compensar as atribulações dos últimos dias. A minha mulher chama-me para a ajudar a levantar. Desta vez quase acreditei que iria conseguir, quando desfaleceu novamente. Com alguma dificuldade mantive-a em pé, pois as minhas costas ainda reclamam de esforços e ela não pesa propriamente pouco.
   Queria fazer-me companhia. Que amorosa! Ajudo-a a tomar banho, relembrando os tempos em que esses eram momentos de prazer. Estou a ficar atrasado, mas devo conseguir lidar com a situação. Limpo-lhe as costas e de novo relembro outras alturas, mas já não há tempo para isso. tenho de a ajudar a vestir-se, pois nem olhar para baixo ela consegue sem que de imediato seja atacada por vertigens. Cuecas (temos de lhes dar valor pela forma como elas conseguem montar aqueles pensos diários... só à terceira tentativa é que ficou perfeito, bem, mais ou menos...) collants, camisola interior, cinta (pois...), camisa, calças, camisola... não resisti e abraço-a. Os olhos dela fixam os meus, inicialmente com uma expressão de satisfação e ternura, mas acabam por ficar demasiado fixos... já não está comigo. Mal tenho tempo de a segurar completamente, para evitar a queda. Valeu-me estar a agarrá-la de encontro ao armário da casa de banho. Gostaria de dizer que tinham sido as minhas carícias que a levaram sei lá para onde, mas infelizmente não. O que vale é que recupera mais ou menos rapidamente. São horas de lhe calçar os sapatos. Já devia estar a pensar no comboio. Ir de carro, a esta hora, nem pensar, mas ainda falta tomar o pequeno-almoço. Toca para a cozinha.
   Toalha na mesa, tosteira, dois copos, pão, fiambre e manteiga. Falta fazer o café enquanto o pão aquece. Vou ao armário buscar a cafeteira, uma daquelas pequeninas, em que se mete água na parte de baixo, café moído numa divisória central e depois o café sobe para a parte de cima. Pois é... mal lhe deito a mão, tomo um autêntico banho. Quem terá sido a malvada que arrumou a cafeteira com café lá dentro! Nem vale a pena perguntar. Os principais suspeitos já têm um alibi preparado para qualquer questão:
   __ Eu não fui! __ com aquelas carinhas de anjo a que já me habituei. Se já estava atrasado, agora nem sei o que dizer. Tenho de tomar banho novamente (espero que o café faça bem ao meu pouco cabelo) e mudar de roupa. Hoje é a minha vez. Telefonar a dizer que vou chegar atrasado à reunião.
   __ A sério?! __ riem-se do outro lado... É preciso paciência.
publicado por vkthor às 18:06
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De luis a 7 de Janeiro de 2005 às 22:29
gostei ;) vou voltar


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Filho pródigo...

. Telefonema a meio da noit...

. ops

. Iconomaker 3.0

. Está a andar...

. Outra resolução

. Aguentei a segunda...

. Falhou logo à primeira...

. Foi há quase um ano...

. Quase... quase...

.arquivos

. Março 2007

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds