Quinta-feira, 6 de Janeiro de 2005

O meu ordenado foi às compras.

   Que paciência!...
   Se há algo com que a maioria dos empregados faz contas no final do mês, é com o seu ordenado. Normalmente recebe-o.


   O Natal estava à porta... Ia-se aproximando dia após dia e como já ia sendo costume, eu adiava as compras, que até nem podiam ser consideradas de última hora. Seriam as únicas, as possíveis, se conseguisse, mas o multibanco teimava em garantir-me que o Subsídio de Natal ainda não me tinha chegado à conta. Em casa, através da Internet, obtenho os mesmos resultados. Não há qualquer depósito, transferência, ou até uma palavra a justificar. Dinheiro vivo então ainda pior. Parece que a administração anda toda às compras, esquecendo-se de mim, e não só. O meu telefone toca sem parar.
   __ Bom dia, Anabela. __ Já sei o que ela vai dizer.
   __ Ainda não recebi o ordenado... __ Eu sabia e desculpo-me com um atraso qualquer. Prometo tentar resolver. Ligo para um dos administradores, que me garante que o pagamento já tinha sido feito.
   __ Então e o meu? __ tento puxar as brasas à minha pequena sardinha.
   __ Vou fazer já a transferência pela Internet. Até amanhã...
   Telefono à moça, acalento-lhe a esperança que eu não tenho. Vou ao banco levantar umas reservas que estavam guardadas para o caso de, qualquer coisa. Passou o Natal e a minha conta não apresenta nenhum aumento do saldo. Mas não era a única. Toca o telefone.
   __ Ainda não recebi! Já passou o Natal, veja se consegue fazer alguma coisa. Estou a precisar do dinheiro... __ Mas que posso eu fazer, o livro de cheques não é meu. Telefono outra vez.
   __ Agora não posso, que vou para uma reunião, mas logo faço as transferências todas. __ Não sei porquê, mas não acredito. Continuo a ver a conta de vez em quando. Vale-me que já tinha feito as compras para o Fim de Ano. Acaba a semana, vai acabar o ano, e se calhar a minha paciência. Ao fim do dia, acabo as minhas compras no Continente. Por uma questão de hábito vou ao multibanco. Metade do meu ordenado já estava à minha disposição. Melhor que nada.
   Hoje acho que já passou muito tempo. Tenho contas para pagar e o meu dinheiro não é elástico. Toca a falar com o administrador.
   __ Trato já disso, mas agora temos de ir comprar umas coisas aqui para o escritório, vamos os dois... e comprámos estantes, uma mesa, candeeiros, armários e mais um monte de coisas. Ao passar pela caixa vejo os números a ultrapassar o meu ordenado. E eu? Ainda estou à espera. Pelo menos o escritório vai ficar bonito... É preciso paciência.
publicado por vkthor às 23:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Filho pródigo...

. Telefonema a meio da noit...

. ops

. Iconomaker 3.0

. Está a andar...

. Outra resolução

. Aguentei a segunda...

. Falhou logo à primeira...

. Foi há quase um ano...

. Quase... quase...

.arquivos

. Março 2007

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds