Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2005

E ficou sem almoçar.

   Que paciência!...
   Se calhar quem está errado sou eu.
   Já a semana passada tinha acontecido algo semelhante, basta relembrar o artigo «Fiquei em casa mas não devia» e hoje o dia repetiu-se, mas com contornos mais graves.


   Chegou o meia-dia e a minha filha pediu-me o computador emprestado para digitalizar umas imagens, por outras palavras, disse-me que tinha acabado a manhã de trabalho.
   Fui ver a minha mulher que continuava deitada. Dormia. Para não ficar sem fazer nada, vou para a cozinha, achei melhor ir fazer o almoço. Uma panela daqui, um tacho dali, tiro a carne que já estava descongelada dentro do micro-ondas. Confesso que nunca percebi isto. Um micro-ondas é para fazer rapidamente qualquer coisa, mesmo que seja descongelar um bife quando nos chega mais um para jantar, agora no dia-a-dia... acho um desperdício. Mesmo de inverno, se deixarmos um bocado de carne congelada fora do frigorífico, ela descongela. Mas quem gelou fui eu, pois a minha mulher apareceu à porta da cozinha, com nada melhor para dizer que:
   __ Para que é que vieste fazer isto? Eu já estava a tratar do almoço! __ Pois estava, só se fosse no país dos sonhos. Ainda lhe digo para me ajudar, mas depois de cortar a carne em cubos para fritar, achei melhor desaparecer de fininho. Como bom marinheiro, as nuvens no horizonte avisavam-me da tempestade no meio da bonança. Saí da cozinha. Vamos ver como se está a safar a miúda. Tinha digitalizado metade de um livro, se não era parecia, pela quantidade de janelinhas minimizadas, seis filas certinhas, e agora queria imprimir aquilo. Queria! Com o anti-virus a fazer a verificação agendada, o player a manipular 12 gigas de mp3's, o Open Office, o Mozilla Firefox com meia dúzia de tabs abertas, o Foxmail e mais meia dúzia de coisas por baixo, não há pentium que aguente. Vou à rua tirar fotocópias, que é mais rápido e barato.
   Regresso a casa pronto para almoçar. Mesa posta, comida na mesa e a miúda já a comer.
   __ A Mãe disse para eu me despachar que entro à uma. __ Onde é que estará a minha mulher? Vou até ao quarto, pensando que se estivesse até a sentir mal, mas não. Está deitada soerguida de lado, telefone na mão, enquanto se ri à vontade com quer que seja que está do outro lado. Pelo menos parece bem disposta, nada de desmaios nem tonturas. Deve ser a mãe, então há conversa para duas horas, por isso o ter mandado a minha filha comer. Vou fazer o mesmo.
   Já estava no café quando apareceu.
   __ Já comeste? Nem me chamaste, não conseguia sair da cama... __ Espera aí, agora que está a falar comigo já está doente outra vez? Ainda tento uma desculpa, tipo julguei que ias demorar, mas o mal já estava feito. Direitinha para a cama, queda pelo caminho, ficou sem almoçar... É preciso paciência.
publicado por vkthor às 17:55
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De nhami a 23 de Janeiro de 2005 às 10:28
tenha calma, nem é axim tao mau!!olhe eu keria fazer uma perguntinha de como poxo por ax fotox k kiser grandes, akelax k o sapo n deixa por...bj**


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Filho pródigo...

. Telefonema a meio da noit...

. ops

. Iconomaker 3.0

. Está a andar...

. Outra resolução

. Aguentei a segunda...

. Falhou logo à primeira...

. Foi há quase um ano...

. Quase... quase...

.arquivos

. Março 2007

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds