Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2005

Saiu para buscar pão

   Que paciência!...
   Se a minha gata faz asneiras, a minha mulher não lhe fica atrás. Às vezes parece que não pensa. É como a gata. Bela obra. Malvado bicho que resolveu usar o cesto das meias como casa de banho. Tudo para dentro da máquina de lavar. O cheiro é insuportável.


    São três e meia. A minha mulher diz-me que vai sair para comprar pão. Sabendo que ela não dá dois passos sem cair (pelo menos cá em casa) digo-lhe que é melhor esperar por um dos miúdos, que eu ando às voltas com uma planta e não queria deixar o trabalho a meio. Não, está-se a sentir bem. Sai. Confesso que mal dou por ela sair, de tal maneira estou embrenhado com o projecto. Ainda por cima o malvado ponteiro do rato estava ortogonal e não parava no sítio que eu queria. Quem é que terá carregado naquele botãozinho ORTHO e como é que eu havia de me lembrar de ir lá ver o que ele fazia. São quatro horas. Ela ainda não chegou. A pastelaria é mesmo aqui ao lado. Tento concentrar-me no trabalho, mas o pensamento já está noutro lado. Não resisto e telefono-lhe. Porcaria. O telemóvel dela toca no quarto. Não o levou. Quase uma hora para comprar pão? Começo a ficar preocupado. Agarro nas chaves e vou à pastelaria que é mais próxima. Quase ninguém e dela, nem a sombra. Há outra padaria lá mais adiante. Por acaso o pão de lá até é melhor. Será que ela foi a essa? Resultado negativo. O tempo está a passar. Ligo para casa na esperança. Ninguém atende. Onde poderá ter ido? Ao Lidl? Ao Minipreço? É uma para cada lado e estou no meio do caminho. Para o Lidl não acredito. Ela não consegue subir aquela rampa sozinha. Pode ser que pela loja do chinês. Nada. Volto para casa e tento o telefone novamente. Nada. Terá ido até ao rio? É um lugar que ela gosta. Meto-me no carro e sigo pela Marginal em direcção ao Seixal. Ninguém. Lembro-me que ela deixou o casaco em casa, logo o rio tem de estar fora de questão, mas mesmo assim, volto para trás por ele. Está maré vazia, nem os pescadores por ali andam. De casa não me respondem. Tento ligar para a minha filha mais velha. Quem sabe se não lhe confidenciou algo mais que a mim. Tem o telefone desligado. Sei de cor o número da Cruz Vermelha do Seixal. Também não é difícil, tudo 2. Não foram chamados para nada durante a tarde. Dão-me o número dos Bombeiros. Tinham levado às três e meia uma mulher ao Hospital. O meu coração disparou. O nome era o mesmo, o apelido parecido, podia ter sido mal percebido. Foram buscá-la à Cruz de Pau, o que raio terá ido fazer para lá? Ao 4ºC da rua... impossível. Não era ela de certeza, embora os problemas respiratórios me deixassem uma dúvida. Mas não. Não conhecíamos ninguém para aqueles lados. Ligo para a esquadra da Cruz de Pau. Será que houve alguma ocorrência... Não. Tudo calmo. Volto para a zona à volta de casa. Percorro todas as ruas e ruelas na esperança de ver qualquer movimento inusitado, até que toca o meu telemóvel. É o número de casa. Ainda é cedo para os miúdos. Chegou a casa.
   __ Estou, Zé Victor? Saíste?
   __ Já vou para casa. Estás bem? __ Tinha ficado à conversa com uma vizinha, todo esse tempo metida na escada de uma casa. Não deu pelo tempo passar. Agora meteu-se na cama, que está muito mal... É preciso paciência.
publicado por vkthor às 19:57
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De paula a 21 de Janeiro de 2005 às 11:21
A tua mulher é uma mulher de sorte!
Um beijo


De docerebelde a 21 de Janeiro de 2005 às 09:15
Convido-te para fazeres uma visita ao meu blog e leres alguns textos que lá se encontram.Eles são a resposta ~´a critica que aqui fazes á tua mulher.....rs


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Filho pródigo...

. Telefonema a meio da noit...

. ops

. Iconomaker 3.0

. Está a andar...

. Outra resolução

. Aguentei a segunda...

. Falhou logo à primeira...

. Foi há quase um ano...

. Quase... quase...

.arquivos

. Março 2007

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds